Terapia de Casal em São Paulo

Terapia de Casal São Paulo SP: Rachel Montenegro é especialista em Psicoterapia de Casal pela PUC-SP com Consultório de Terapia de Casal em Moema e Morumbi (Vila Andrade). Com 14 anos de experiência em terapia sistêmica, com especialização em TCC - terapia Cognitiva Comportamental.

Terapia de Casal SP Terapia de Casal São Paulo SP
TERAPIA DE CASAL | Morumbi, Vila Andrade e Moema

Terapia de casal São Paulo SP: Como melhorar meu relacionamento?

Estruturas que moldam um relacionamento Com a Terapia de Casal no Morumbi ou Moema, identificamos os principais pontos de conflito no relacionamento e trabalhamos com resoluções que podem ser feitas no dia a dia com seu parceiro. Não é fácil estabelecer um padrão geral de comportamento nem abstrair um protótipo estrutural das relações de casal de nossa época. Mas é indubitável que as mudanças nos pactos entre homens e mulheres trazem ao vínculo uma sensação de fragilidade desconhecida em décadas passadas. Cada um espera encontrar no outro um colo, uma pessoa com maturidade emocional suficiente para atender suas carências afetivas. Paradoxalmente na atualidade tanto o homem quanto a mulher estão sujeitos a elevados níveis de tensão: a competição no trabalho, a ameaça de desemprego, o trânsito - estresse em geral.

Terapia de Casal Zona Sul

A terapia de casal Morumbi é útil tanto para casais formalizados quanto para namorados que moram juntos, ou seja, não precisa da formalização do estado civil.

O que é a terapia de casal em Moema?

Conduzida por psicólogos, ela se configura como um espaço de sigilo e respeito onde o casal é acolhido em suas queixas e demandas afetivas. Por meio da escuta ativa, o psicólogo em Moema auxilia a identificar suas necessidades e conflitos, atuando como facilitador e mediador do diálogo.

Cabe ressaltar que não é função do psicólogo tomar decisões a respeito da vida ou mesmo atuar como “juiz das situações” colocadas pelos clientes. Decisões e direcionamentos de vida podem se apresentar ao casal por meio do espaço terapêutico, mas são de competência e responsabilidade dos próprios clientes.

A terapia em Moema ajudará o casal a identificar aquilo que aflige cada indivíduo, como esse problema se inicia e quais ansiedades que pressionam esse comportamento. Na medida em que a terapia consegue reconhecer e diferenciar suas próprias necessidades como indivíduos separados, o casal consegue progredir com mais flexibilidade.

Por se tratar de uma terapia de casal na Vila Andrade, procura-se observar e desvelar a dinâmica na relação, o que é um dos objetos da intervenção terapêutica. Nesse sentido, novas possibilidades de ser e estar juntos podem se abrir, auxiliando no relacionamento a dois.

A terapia visa identificar, acolher, intervir e repensar estratégias para situações de sofrimento comuns ao casal, o que se constitui como recurso mais elaborado de enfrentamento para as questões de ambos.

Dessa maneira, a terapia no Morumbi trabalha com os próprios recursos que o casal já tem e promove espaço de desenvolvimento de novos modos de se relacionar, favorecendo a estabilidade e o equilíbrio dinâmico do indivíduo e do casal.

Quando iniciar a terapia de casal no Morumbi?

Cada casal tem as suas individualidades e necessidades, tendo que ser considerado cada qual em sua especificidade. Todavia, o ideal é que se busque o auxílio profissional sempre que o casal identificar uma insatisfação no âmbito – difícil – da relação a dois.

A terapia de casal em Moema pode ocorrer de forma preventiva, pelo interesse de ambos em melhorar algum ponto específico de suas vidas em comum, observar sua dinâmica na perspectiva de melhora, ponderar sobre escolhas e decisões, entre outros. Dessa maneira, ela pode iniciar antes mesmo que ocorram problemas na relação.

Quando algumas insatisfações interferem na relação sem que algum evento mais significativo tenha acontecido, ou quando já aconteceu algo que gere uma demanda mais urgente a ser tratada — como problemas de comunicação, mudanças no ciclo de vida, situações traumáticas e discordâncias nos objetivos — já é interessante dar início à Terapia de Casal em Moema.

Portanto, ela não precisa ser buscada apenas em momentos onde é considerada o último recurso, como antes de uma separação ou divórcio. Mesmo se essa ruptura, durante o processo terapêutico com Teraputa de casal no Morumbi, for compreendida pelo casal como melhor alternativa de vida para ambos, a terapia pode ser benéfica para que ela ocorra de maneira amigável, principalmente quando se trata de um relacionamento de longa data.

Vamos falar um pouco mais sobre algumas situações que, com frequência, levam as pessoas a buscarem por terapia de casal. Temas tratados sempre nas clínicas com casais no Morumbi. Como salientamos anteriormente, não existem regras para buscar o atendimento, sendo uma escolha dos indivíduos reconhecer quando é ou não o momento certo.

O nascimento do primeiro filho

Essa é uma crise bastante frequente entre pais e mães de primeira viagem. Pode-se dizer que qualquer relação passa por transformações quando uma criança passa a fazer parte do quadro da família, especialmente quando não estamos acostumados com esse tipo de situação.

Toda a questão da gestação já traz dilemas e situações inéditas, invariavelmente mudando a rotina de um casal. O corpo feminino passa por modificações, além de toda a pressão social em torno do exercício da paternidade e maternidade em seus respectivos dilemas. Tal cenário frequentemente traz dificuldades para a relação e conflitos que tendem a ser deixados de lado em prol da saúde da criança.

Essa pode ser a hora de buscar um terapeura em Moema, que lhes ajude a traduzir as necessidades de cada parte dessa equação com uma escuta qualificada! Mesmo que a preocupação do casal seja em torno da saúde do filho, vale lembrar que uma relação em crise é um péssimo terreno para educar uma pessoa em formação!

Terapia de Casal Morumbi

Problemas Financeiros

Outro tema clássico e espinhoso nas relações. Para além do campo afetivo, as questões financeiras tendem a trazer dificuldades para as pessoas em geral, pois muitas vezes tratam de empecilhos que fogem do controle individual. Normalmente, ocorre uma deterioração da relação quando há uma perda significativa na renda de uma família ou de um de seus componentes.

Outras questões ligadas a dinheiro podem trazer dificuldades, como a diferença salarial, gastos excessivos de uma das partes (ou de ambas), desacordo sobre o que fazer com as economias etc.

Dificuldades no campo sexual

Esse infelizmente é um tema cercado de barreiras para a maioria dos namoros e casamentos. Não devia ser assim, já que a sexualidade é parte natural de uma construção afetiva saudável. Frequentemente, uma simples conversa franca poderia resolver essas complicações. Entretanto, temos tantas dificuldades de falar sobre sexo, que às vezes até para nós mesmos é difícil ser honesto acerca disso.

É nesse momento que uma consulta com um psicólogo no Morumbi pode ajudar. Um profissional qualificado certamente estará preparado tanto para ouvir as queixas do casal sobre sua sexualidade, quanto para facilitar a expressão de tais sentimentos. Quanto aos parâmetros gerais de uma sexualidade saudável, observamos que tudo é permitido entre dois adultos, desde que haja consentimento e respeito quanto aos limites do outro.

Nesse sentido, é possível que sejam também saudáveis as experiências de relacionamentos onde não existe sexo propriamente dito. Embora menos frequente, essa também é uma forma legítima de manter uma parceria amorosa, desde que atenda às necessidades de ambos.

Faz parte do código de ética do psicólogo desmistificar julgamentos e propiciar apoio para que as pessoas vivam sua sexualidade da forma que melhor lhes convier, por isso não hesite em buscar um profissional para ajudar vocês a pensarem soluções para esses dilemas.

Desgaste do relacionamento

Há uma banalização do vínculo conjugal como se a relação pudesse suportar tudo. Não são incomuns casais que exigem incondicionalidade um do outro na relação. Consideram o outro como aquele que precisa suportar, ajudar e entender. Os cônjuges pensam: 'Se estou de mau humor, tens que me aguentar'. Eles exigem muito do casamento, inclusive o que ele não pode dar, e isso tem um custo.

A terapia de casal questiona o lugar-comum de que em briga de marido e mulher não se mete a colher. A psicoterapia contrapõe com o conceito de conjugalidades plurais, enquanto a visão irreal de felicidade a dois veiculada nas histórias de ficção e nas redes sociais gera uma cobrança nas pessoas de carne e osso por um ideal de realização inatingível. Trocando em miúdos: o segredo de um casamento feliz não é o mesmo para todas as duplas.

Uma pesquisa com 750 homens e 750 mulheres de diferentes classes sociais e níveis de escolaridade divulgada em 2015 revelou que 50,4% dos participantes declaram níveis de satisfação conjugal entre bom e muito bom; 17,3% consideram viver em um relacionamento “na média”; e 32,3% constatam problemas ou dificuldades. Os resultados foram publicados no livro Viver a Dois – Oportunidades e Desafios da Conjugalidade (editora Sinodal), de Adriana Wagner, Clarisse Mosmann e Denise Falcke.

Dentro da Terapia de Casal no Morumbi, podemos explorar os contextos do relacionamento. Por exemplo, em tal contexto e sem dar-se conta, esperam encontrar no casamento uma espécie de oásis, uma fonte de conforto, um parceiro atento, meigo e compreensivo além do sexo cinematográfico... Deseja-se apoio, proteção, reconhecimento. A necessidade de muito receber do outro entra em confronto com a pouca disponibilidade para dar. Os parceiros se revezam num eterno conflito: quem recebe sente que recebe pouco e quem dá acha que dá demais. Nesse panorama, a procura por terapia de casal cresce ano a ano.

Uma terapia de casal no Morumbi / Moema serve só para casados ou também para namorados?

É melhor fazer a terapia de casal no início do relacionamento, ou só quando o relacionamento já esta se desgastando?

Quando tudo esta bem não tem porque fazer terapia de casal. Porém, se um dos membros tem um histórico de relacionamentos que acabam naufragando sempre pelo mesmo motivo é importante que busque uma terapia individual para entender quais mecanismos inconscientes o impediram de dar outro destino aos relacionamentos anteriores e obter maior compreensão e consequente liberdade de escolha em relação ao atual.

Casais homossexuais também podem se beneficiar da terapia de casal?

Obviamente que sim. Os mecanismos psíquicos dos relacionamentos amorosos são os mesmos, independentemente da orientação sexual.

Constelação familiar: O que é, como funciona e para que serve!

Acrescido ao dito acima, os mitos que definiam os relacionamentos nos casamentos tradicionais tais como o mito de que "só se ama uma vez" e o mito do "amor eterno" foram dando lugar a mitos modernos, mais complexos e "confusos" no sentido do que se pode ou não esperar do parceiro amoroso. Se os mitos modernos contribuíssem para o crescimento individual ou para o desenvolvimento do casal seria maravilhoso, no entanto o que vemos são casais cada vez mais inseguros, cobradores, "grudados" e ciumentos. Para melhor elucidar, citarei alguns dos mitos dos casamentos modernos que foram substituindo os mitos tradicionais: o mito da "Verdade Total", que compreende em contar tudo ao parceiro (pacto que muitas vezes chega às raias da crueldade); o "Mito da Liberdade": nesse ideal cada um tem a liberdade de fazer o que quiser, quando quiser e como quiser. Algo muito "moderninho", mas que no fundo não passa de uma falsa noção de independência que acaba ferindo o outro; o mito da "paixão avassaladora": aqui passado o arrefecimento da paixão, o furor do sexo, parece que há um "erro" no relacionamento; mito da "perfeição eterna do parceiro": nada mais falso, ou seja, ao se perceber que o parceiro tem imperfeiçoes, percebe-se também que é chegado o momento de romper. Reina a fantasia de que só pessoas perfeitas se relacionam. A terapia de casal geralmente é procurada em meio a uma crise suficientemente grave para ter levado ao menos um dos parceiros a falar em separação. Separação é um processo doloroso, mesmo para o parceiro que se diz decidido. A suspeita de traição ou a traição confirmada por um dos parceiros é a causa que traz mais casais ao consultório, além de questões ligadas à sexualidade, filhos, falta de amor estariam entre as outras queixas mais frequentes.

A terapia de casal dura em média de três a quatro meses, um trabalho breve para os padrões da psicanálise e o rumo que o relacionamento vai tomar a partir do processo analítico não pode ser defindo a priori. O terapeuta ajuda o casal a desvendar o que está encoberto por trás das brigas repetitivas e aparentemente fúteis que normalmente impedem que o casal consiga ter uma conversa minimamente civilizada. Os dois membros do casal terão clareza dos processos inconscientes que os levaram a se escolherem como parceiros e como chegaram ao ponto de desencontro. Essa consciência proporciona uma clareza dos mecanismos em jogo nas tramas da relação. Haverá a consciência de que num casal não existe um único culpado nem um único santo. Há sempre dois em jogo... Não há garantias no amor, amar é um projeto arriscado. Mais arriscado ainda é riscar da vida o amor.

Saiba reconhecer os Sintomas de ansiedade

Como diferenciar a tristeza da depressão

TUDO SOBRE DEPRESSÃO: Sintomas, causas e tratamento (com Naruhodo) | Setembro Amarelo